19/03 – Dia 92 – Tokyo – Mito

O dia da aventura parte 2. Objetivo: encontrar a pedra que meu bisavô esculpiu na entrada de um parque famoso de Mitô – Kairakuen Park.

Esse estava mais fácil, pelo menos aparentemente. Peguei o trem até Mito, e um ônibus até o parque. Até aí, única dificuldade foi com a língua, coisa de sempre..fica aquela dúvida se estava indo no lugar certo, quando descer do busão, coisa e tal. Mas, nada de outro mundo! Mito é uma cidade relativamente grande e desenvolvida. Tinha na cabeça que era mais interiorzão. Às vezes é, sei lá hahaha.
O ônibus parou bem em frente ao parque, e bem na entrada onde estava a pedra! Fácil assim :) estava chovendo, mas fiquei lá, sentada contemplando, olhando cada detalhe, e imaginando meu bisavô com seus 60 ajudantes preparando a pedra pra ele esculpir. Que lindinho!

 

image
Depois fui dar uma volta nesse tal parque. Impressionante como é lindo! Estava cheio de Umês, e eu estava com meu fone ouvindo música e andando/dançando toda empolgada. Estava muito feliz! Hehehe bom, no parque tinha floresta de bambú, natural spring, lagos, vista para a cidade e uma casa onde o imperador reunia pessoas pra confraternizações, inspirações de músicas e poesias. Bem japa. :)

image

image

image

image

image

image

image
Peguei o trem de volta pra Tóquio e fui correndo pras aulas de hip hop. Cheguei em tempo (ufa!) e fiz duas aulas, estava totalmente despreparada, sem tênis nem nada, mas rolou! E foi incrível:) Os profs e a turma era super fofa, e linguagem corporal é bem mais fácil de entender do que japonês hehehe. Amei!


De lá, sai correndo com uma menina que foi fazer aula de jazz e está de lua de mel em tokyo e seguimos um casal japonês fofíssimo que nos levou até a entrada certa do metrô da linha que precisávamos pegar. (E que, por sinal, não era a mesma deles).
Corri feito doida, porque já estava atrasada. Cheguei em Roppongi e encontrei a Mari, uma amiga do Rafa que está morando aqui. Ela me levou em uma Izakaya super tradicional, jamais chegaria aqui sozinha. O bairro é cheio de barzinhos e baladas, e o lugar que fomos era demais! Um monte de japa falando alto em mesas que parecem de refeitório. Izakayas são típicos barzinhos que vendem bebida e porções de comida relativamente baratas. Experimentei a cachaça deles com chá verde, e achei super leve na real. E comi um sukyaki mara!! Ficamos conversando, ela é super querida, fooofa de mais, até a hora que precisei correr pra alcançar o metrô aberto e o busão pra casa da Yuka. Corri loucamente de novo. Hahaha

image

image
Cheguei já super tarde e subi pro meu sótão, feliz da vida!
Hoje me senti muito em casa! Parecia que eu tinha uma rotina, e um lar. Foi delicioso, mesmo que meio ilusório, mas a sensação é muito boa!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>